quinta-feira, 3 de novembro de 2016

FALTA NO HOSPITAL...MAS...

APÓS REBELIÃO E MORTES,
PRESÍDIOS DO ACRE RECEBEM APARELHOS DE RAIO-X
Medida foi anunciada pelo Iapen e Secretaria de Segurança Pública.
Previsão é que os aparelhos estejam funcionando até o fim deste mês.

Após rebelião e mortes, Iapen-AC anunciou a instalação de aparelhos raio-x em presídios da capital e interior do Acre (Foto: Arquivo Pessoal)
Após rebelião e mortes, Iapen-AC anunciou a instalação de aparelhos raio-x em presídios da capital e interior do Acre (Foto: Arquivo Pessoal)

Após rebelião e onda de homicídios no Acre, os presídios de Rio Branco e interior do estado vão receber oito aparelhos de raio-x e 10 detectores de metal pelo Ministério da Justiça.

A medida foi anunciada pelo Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) e Secretaria de Segurança Pública nesta quinta-feira (3).

Os aparelhos serão instalados nos presídios de Senador Guiomard, Tarauacá, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira , e nas unidades UP4 e Antônio Amaro em Rio Branco. O Presídio Francisco d'Oliveira Conde (FOC), também na capital, já tinha os aparelhos, deve receber novos itens.

A previsão é que todos os equipamentos estejam funcionando até o fim deste mês. "Um dos aparelhos de raio-x é de capacidade de passar objetos pesados até mais de 10 quilos. Com isso, vamos fortalecer todas as unidades prisionais do estado para evitar a entrada desses materiais ilícitos. Todas as unidades já receberam o aparelho e a empresa que venceu a licitação está no processo de montagem e instalação", explica o diretor do Iapen, Martin Hessel.

O secretário de Segurança, Emylson Farias, diz que a medida é mais uma ação para fortalecer a segurança após a rebelião e onda de homicídios.

"Fortalecemos as guaritas, guarda interna e fizemos outras inúmeras situações para que tenhamos uma segurança orgânica cada vez melhor dentro dos presídios e para que dificulte a entrada de materiais ilícitos. Esses aparelhos vão reforçar a segurança, pois vamos monitorar ainda mais quem e quais aparelhos entram na unidade", ressalta o secretário.

Briga de facções
No último dia 16, o Acre registrou uma onda de execuções que, segundo o secretário da Segurança, Emylson Farias, teve ligação com a briga entre duas facções rivais. O estopim dessa guerra aconteceu na noite de terça-feira (18), quando ao menos 25 criminosos de um grupo organizado armaram uma emboscadapara matar presos do semiaberto ligados a uma facção rival. Quatro pessoas foram feridas e apenas um criminoso preso.

O ataque aconteceu na Unidade Prisional 4 (UP4), quando os presos voltavam para dormir na unidade. No dia seguinte, o governo acionou 500 homens do Exército, destes 200 ficaram em Rio Branco e o restante em cidades da fronteira. Além disso, os 380 da chamada "Papudinha" foram  liberados do pernoite até o dia 21.

O presídio Francisco D'Oliveira Conde (FOC) também registrou um início de motim na no dia 19. O motim iniciou no pavilhão I, dentro do"Chapão", onde ficam os sentenciados. A assessoria do Iapen confirmou que um grupo de presos começou a bater nas grades e a gritar, mas a situação foi contida a tempo. A visita íntima foi suspensa devido ao ataque registrado na noite anterior.

No dia seguinte, uma briga durante o banho de sol no FOC deixou um ferido em Rio Branco. A Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp-AC) informou que os presos usaram estoques durante a confusão no pátio da unidade.

No mesmo dia, durante a entrega de marmitas no presídio, os presos se rebelaram e tomaram conta de três pavilhões da FOC. Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) entraram na unidade e, inicialmente, conseguiram retomar os pavilhões L e K. O Pavilhão J foi o último a ser controlado. Após a rebelião, em coletiva, o governo afirmou que um carcereiro foi preso sob suspeita de fornecer armas para presos atuarem no complexo.

No total, quatro presos morreram. Um chegou a ser socorrido no Hospital de Urgência e Emergência, mas não resistiu. Além disso, 19 ficaram feridos.

Por: http://g1.globo.com/

Nenhum comentário: